Canal Atlas

ATLAS celebra Exposhow no Panamá - EMPRESA FOI A PRIMEIRA BRASILEIRA DO SETOR A REALIZAR EVENTO NO EXTERIOR

Atlas S.A. comemora o sucesso da edição internacional do Exposhow, que aconteceu no final de agosto, no Panamá.

 

De acordo com o diretor geral da empresa, Márcio Atz, além de fortalecer alianças já existentes, importantes negócios no ramo da exportação foram alinhavados durante a feira, o que, consequentemente, vai gerar uma expansão na carteira de clientes estrangeiros. “Pode demorar alguns meses para finalizar, pois o comprador estuda o mercado e as posições de custo da importação, considerando cada linha que será adquirida”, explica.

 

Para realizar o Exposhow, a Atlas enviou do Brasil um container com 5,5 toneladas de produtos da marca. Foram quase 30 dias navegando, até que os itens chegassem no porto de Manzanillo.

 

A empresa reuniu na Cidade do Panamá, os 38 maiores players brasileiros do segmento de materiais de construção, além de 150 convidados de 20 países diferentes.

 

 

O evento contou, ainda, com espaço para networking, onde 12 importantes indústrias apresentaram produtos e serviços. Abracol, Adere, Mundial Prime, Ciser, Colortek, Foxlux, Kapazi, Ilumi, Jimo, Montana, Citel Software e Pabovi marcaram presença.

 

Diretor da Jimo, uma das indústrias convidadas, Felipe Morandi projeta uma ampliação no número de clientes, após a participação no Exposhow. “Foi muito bom para a empresa, pois fomos com a equipe de vendas nacional e de exportação também”.  

 

            Na feira, Morandi fortaleceu relacionamento com grandes atacadistas e os principais players de material de construção que já integravam a carteira, e também iniciou tratativas com novos compradores. “Além disso, estamos em avançadas negociações com sete países para onde ainda não exportamos”, revela, e afirma: “Ter participado também aumentou a relevância da nossa empresa frente aos clientes atuais, pois estávamos em um ambiente seleto, que reforçou nossa marca e tinha muita credibilidade”.  

 

O gerente nacional de vendas da Atlas, Cassiano Cardoso, destacou que foi momento de business, de conhecer fornecedores diferentes, com o aspecto das indústrias convidadas, e de network intenso. “Mesmo sendo negócios e reunindo pessoas de diferentes países, o clima era leve e fluído”.  

 

Cardoso ressaltou, ainda, a oportunidade de mostrar a clientes antigos, do exterior, que os produtos não se limitam mais a apenas rolos e pinceis. “Nos últimos anos, a Atlas teve uma expansão acelerada do seu mix que, hoje, abrange preparação, pintura e acabamento. Os visitantes puderam ver um catálogo vivo e sentir o estágio atual da empresa”, diz, e completa: “Vimos muitos CEOs, diretores e donos testando selantes, adesivos, abrasivos e ferramentas profissionais de alta produtividade na área específica que criamos para demonstrações e testes. E isso foi muito importante”. 

 

Já o gerente nacional de vendas da Atlas, Mauricio Galhardi, destacou que o Exposhow cumpriu com seu papel de integração entre clientes, transmissão de conteúdo qualificado, network e confraternização. “Foi bem organizado e conduzido, o que ganha evidência no feedback que estamos tendo de quem participou”. 

 

Mais de 550 pessoas visitaram a feira, entre grandes nomes do varejo e da distribuição latino-americanos. “Eles circularam e interagiram com os executivos da Atlas e das indústrias convidadas, criando uma atmosfera de alto nível, muito poderosa em discussões de oportunidades e negócios”, avalia Atz, que antecipa: “Quando organizamos esta primeira edição, já tínhamos planos de realizar outra em 2021. Pelo êxito que tivemos, com certeza isso acontecerá”.  

 

Simultaneamente ao Exposhow, a Atlas realizou o “Fórum Latino Americano do Mercado de Materiais de Construção”, que teve como objetivo promover um debate qualificado sobre o funcionamento, os desafios, cenários e tendências do comércio de materiais de construção latino-americano.

 

Atz foi o mediador do Fórum, que focou no tema: “Desafios do Comércio de Materiais de Construção na América Latina”, e contou com a participação de importantes lideranças do setor: os brasileiros Gérson Bartolomeu, Renato Sá, Vicente César da Silva, além do dominicano Francisco Diaz, do panamense José Francisco Palácios e do costa-riquense Max Sánchez Miranda.  

 

Diretor de Planejamento Estratégico e Marketing da Tintas MC, Renato Sá, foi um dos debatedores. Segundo o executivo, o Fórum foi rico e tratou de assuntos importantes e atuais. “A construção de todo o evento foi algo muito grandioso, e que marca a Atlas no segmento como líder de mercado”, avalia ele, que afirma: “O Fórum foi um momento no qual se pode debater e aprender com pessoas de diversos países. Tive a oportunidade de participar e me senti honrado de estar lá”.  

 

Sá pontua, ainda, que os resultados são intangíveis para a marca, tanto em relacionamento, quanto em orgulho da empresa. “Os participantes ficaram impressionados com todos os detalhes e a organização. Este evento deve marcar a agenda da Atlas, pois mostra o universo desta empresa, que é muito grande”.

 

Para Atz, a relevância do evento está na promoção dos debates que se estabeleceram sobre o setor de materiais de construção na América Latina. “Foi muito importante e levantou questões que tangem as diferenças de práticas e do panorama do mercado de construção em diferentes países, bem como o estágio de desenvolvimento e funcionamento de cada um deles”, destaca.

 

Segundo o diretor geral, alguns países têm desafios e configurações que podem ser, no futuro, os de outras regiões. “Conhecer estas realidades ajuda a compreender o rumo de seu próprio mercado e a refletir sobre como se posicionar estrategicamente em meio a estas realidades dinâmicas e mutantes”.

 

 Um dos pontos altos do Fórum foram as apresentações de dados consolidados do mercado de materiais de construção da América Latina, que impressionaram os participantes e colocaram sob perspectiva o negócio do setor.